» Digital > Empresas

Internautas serão 42,3 milhões em 2006, revela Yankee Group
(Exame, 19/07/2001)

O Yankee Group, instituto sobre Internet e telecomunicações, estima que o Brasil terá 42,3 milhoes de usuários de Internet em 2006, quase o triplo do número previsto para o final deste ano.

O estudo “A Second Wave: The Brazilian Internet User Forecast” revela que a segunda onda de usuários da Web será composta principalmente por internautas das classes sociais B e C.

Para o instituto, o acesso à Internet nas escolas, locais públicos e empresas contribuirá para o aumento da base de internautas no país.

O acesso à Internet por usuários domésticos terá uma média de crescimento anual de 20,8% até 2006.

 

Microsoft anuncia faturamento recorde de US$ 25,3 bilhões
(Exame, 29/07/2001)

A Microsoft Corporation anunciou recorde de faturamento mundial de US$ 25,3 bilhões para o ano fiscal encerrado em junho de 2001. Esse valor representa um aumento de 10% sobre o faturamento de US$ 22,96 bilhões do ano passado.

Segundo a empresa, as vendas do Windows 2000 Professional e os servidores corporativos da plataforma .NET alavancaram o desempenho da empresa de software norte-americana. A receita operacional da empresa ficou em US$ 11,72 bilhões, contra US$ 11,01 bilhões computados no ano fiscal de 2000.

Para o trimestre que terminou em junho deste ano, a Microsoft anunciou um faturamento de US$ 6,58 bilhões _uma alta de 13% sobre os US$ 5,80 bilhões do mesmo período do ano anterior.

Segundo comunicado oficial divulgado pela empresa, a Microsoft espera ter um resultado ainda melhor em 2002 com a consolidação das vendas de novos produtos como Office XP, o Windows XP, o Xbox e o Visual Studio .NET.

 

  

AOL criará serviço de identidade de Internet
(Reuters, 2001-07-31)

A AOL Time Warner está desenvolvendo um recurso de autenticação online, que permitirá que internautas guardem informações pessoais para realizar transações eletrônicas com maior praticidade. O serviço será implementado dentro de seis meses, disse uma fonte da empresa.

A fonte confirmou uma reportagem do Washington Post, que dizia que a AOL Time Warner estava criando um “serviço de identidade”, o que colocaria a empresa de novo na dianteira da corrida contra a Microsoft.

A Microsoft já disse que seu serviço de identidade, o Passport, será incluído no novo sistema operacional Windows XP, que será lançado no segundo semestre. O Passport permite que os consumidores arquivem dados como endereços e números de cartão de crédito online. A idéia desse tipo de serviço é tornar mais fáceis as transações que os internautas realizam, eliminando o preenchimento de formulários longos toda vez que uma compra online é feita.

O serviço, entretanto, é criticado por defensores da privacidade, que já pediram para que o governo dos Estados Unidos investigue o Passport, acusando o serviço de forçar os usuários a revelar informações pessoais delicadas sem oferecer controle suficiente com respeito à forma pela qual os dados serão usados.

O serviço de autenticação da maior empresa de Internet do mundo será oferecido a consumidores que escolherem o serviço da AOL e aos assinantes  que optarem por ele, disse a fonte.

 

Gartner: menos de 50% dos bancos sobrevivem a tecnologia e fusões (Computerworld/EUA, 2001-08-05)

Bancos que estão reconstruindo seus alicerces em comércio eletrônico, por meio de alianças tecnológicas, serão os sobreviventes em um período contínuo de fusões e aquisições na indústria de serviços financeiros, de acordo com um relatório do GartnerG2, serviço de pesquisas do Gartner Inc., em Connecticut.

O relatório também prevê que as novas tecnologias e a competitividade, nos próximos seis anos, deixarão os mercados eletrônicos com menos da metade dos players atuais, ou seja, dos 9.821 bancos que operam atualmente, restarão 5.000, em 2007.

“Se voltarmos 15 anos atrás, tínhamos cerca de 14 mil bancos”, compara Frank Schlier, vice-presidente do grupo GartnerG2.  De acordo com o relatório do GartnerG2, empresas de serviços financeiros que sobrevivem limitam o uso de seus funcionários à interação cara a cara com consumidores e em processos estratégicos, deixando todas as funções de negócios para o meio eletrônico.

 O GartnerG2 também mostra que as instituições financeiras bem sucedidas serão enquadradas em três categorias: os “mestres de mercado”, especialistas em adaptar as melhores práticas da indústria e do setor apresentando inovações ocasionais; os “líderes de mercado” que concentram-se somente em inovações colhendo vantagens estratégicas de curto prazo e os “seguidores de mercado” que aplicam as inovações de outros em seus negócios.

 

Em ranking mundial de marcas, a Coca-Cola segue na liderança, acompanhada da Microsoft
(Gazeta Mercantil - 2001-08-05)

A Coca-Cola continua na liderança entre as marcas mais valiosas domundo, segundo pesquisa da empresa inglesa Interbrand. Chegou a ser ameaçada pela Microsoft, segunda colocada.

Mas a marca da Coca-Cola continua a perder valor. Caiu de US$ 72,5 bilhões, em 2000, para US$ 68,9 bilhões na avaliação deste ano. Também as companhias de tecnologia e as pontocom sofreram grandes quedas de valor em dólar desde julho de 2000. Na pesquisa deste ano, apresentam decréscimo de valor: Intel, Hewlett-Packard, Cisco System, Compaq, Dell, Apple, Yahoo!, e Amazon.com.

Ao elaborar o ranking, a Interbrand tenta mostra, entre outras coisas, quanto de incentivo para o faturamento da empresa contribui cada marca global; quanto estável o incentivo provavelmente será no futuro; e quanto dos ganhos futuros são valiosos hoje. A metodologia de análise da Interbrand considera aspectos como os investimentos em marketing feito pela companhia dona da marca.

Uma rede varejista dedicada a oferecer inúmeras variações de um bom café, ao contrário das empresas da nova economia, ganhou destaque por ter obtido o valor de maior crescimento. A americana Starbucks viu o valor de sua grife subir 32% em apenas um ano.  O ranking da Interbrand vai ser divulgado na revista Business Week.

 

O e-mail está mudando a vida das pessoas
(Instituto Gallup,  2001-08-001)

Uma pesquisa feita pelo Instituto Gallup nos Estados Unidos revela dados sobre e-mail, e mostra que ele pode substituir o correio convencional e até o telefone. Segundo o estudo, um usuário típico de e-mail recebe cerca de 8 mensagens por dia e manda 3 em casa, recebe 12 no trabalho e envia em média 6. Para esses usuários, administrar o correio eletrônico é a atividade mais freqüente na Internet. Eles mandam e recebem e-mails muito mais do que buscam informações, pagam contas ou usam os programas de mensagens instantâneas na Web. E os números são diferentes entre os sexos: entre as mulheres, 61% disseram que o e-mail é a atividade mais freqüente na Internet. Já entre os homens, ela é a mais freqüente apenas para 44%.  Outros 39% dos homens apontaram a busca de informações, contra 23% das mulheres. Por usar o correio eletrônico, 34% disseram que usam menos o telefone e apenas um terço disse que não mudaram em nada a intensidade de uso do telefone e do correio convencional.

Os textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores ou fontes e podem não expressar a opinião da Economiabr.net