:: Digital

Qual é a voz da sua empresa?

Uma coisa que tem sido discutida com cada vez mais freqüência nos círculos de Marketing nos EUA é a importância da 'voz' da empresa.Pode ser na espera do seu call center, num comercial, em alguns elevadores modernos e até mesmo no carro - qual é a voz da sua empresa? Como você quer ser visto/imaginado pelos clientes e fornecedores?

Cada voz tem um estilo e personalidade diferente: masculina, feminina, adulta,
jovem, etc. As empresas agora estão tentando achar a mistura certa para
cada tipo de cliente e situação.

De acordo com um artigo no New York Times, a AT&T Labs tem feito grandes progressos na área de voz sintética. Isso significa que em breve poderemos ter qualquer texto escrito na voz de qualquer um - como Elvis Presley, Frank Sinatra, Tom Jobim ou Ayrton Senna dizendo 'não se esqueça do cinto de segurança' quando você entrar no carro.

Ainda não chegamos lá, mas a empresa anunciou recentemente que pode reproduzir a voz de qualquer pessoa que grave 40 horas em fitas de qualidade. É mais um detalhe na busca do ideal de atendimento - novidades certamente virão em breve.

Mas com toda essa tecnologia, será não que perderemos o calor humano? Eu só sei de uma coisa: com certeza é bem melhor do que uma pessoa mal-humorada ou alguém lhe chamando de 'amor' ou 'bem' - coisas que infelizmente ocorrem ainda com freqüência, mesmo com tudo que já foi escrito sobre o assunto.
Mais informações: http://www.naturalvoices.att.com


EUA teme onda de ciberterrorismo
(Computerworld, 2001-09-14)

Especialistas do governo dos Estados Unidos e de empresas de segurança da dados temem que os atentados ao EUA sejam apenas o começo de uma onda, que poderá incluir ataques de ciberterrorismo. Membros do National Infrastructure Protection Center, unidade do FBI especializada em crimes relacionados à Internet e à infra-estrutura de TI (tecnologia da informação), convocaram uma reunião de emergência com empresas de segurança para avaliar as informações sobre uma possível onda de cibercrimes com invasões de sistemas.

O temor é reforçado por Marv Langston, diretor-assistente do Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Indagado se os atentados de hoje poderiam ser seguidos por investidas de ciberterroristas, ele afirmou que “ficaria surpreso se isso não acontecesse”.

A Internet Security Systems (ISS), empresa americana que possui o Information Sharing and Analysis Center, centro de monitoração de segurança de dados, colocou seus especialistas em AlertCon 3 (o mais alto é AlertCon 4), com o objetivo de evitar ataques vindos da Web. O ISAC trabalha em parceria com o FBI




Idosos são grandes usuários da Web nos EUA
(Web World, 2001-09-15)

Uma pesquisa da Pew Internet & American Life Project revela que 15% das pessoas com mais de 65 anos nos Estados Unidos estão online. Em contrapartida, a faixa etária imediatamente anterior – entre 50 e 64 anos – possui um índice bem superior de uso da Web, em torno de 51%. A pesquisa revela que a atividade online das pessoas com mais de 65 anos não difere substancialmente do comportamento da média dos internautas norte-americanos.

De fato, exatamente a mesma porcentagem – 93% - dos idosos e da população geral de usuários de Internet fica online para checar e enviar e-mail e cerca de 44% de ambos os grupos buscam informações financeiras na Web. O trabalho revela ainda que o uso da Internet para buscar informações sobre saúde, um assunto que muitos imaginam interessar mais a idosos, também não difere muito entre os internautas com mais de 65 anos e a média geral da população. Segundo a Pew, 53% dos idosos que utilizam a rede buscam conteúdo sobre saúde, enquanto uma porcentagem ligeiramente maior – 56% - de todos os internautas fazem o mesmo.

A pesquisa da Pew é baseada em pesquisas com 26.094 pessoas com idades acima de 18 anos. Os números da Pew são similares aos levantados pela Jupiter, segundo a qual 16% dos idosos norte-americanos estavam online em 2000. A PC Data, no entanto, acredita que apenas 3,5% das pessoas com mais de 65 anos nos Estados Unidos usam a Web.



Microsoft doa US$ 10 milhões para recuperação da cidade de NY
(Exame, 2001-09-17)

A Microsoft Corporation doou nesta quinta-feira US$ 10 milhões, em dinheiro e serviços, para a recuperação da cidade de Nova York.
Do total, US$ 5 milhões vão para o Fundo 11 de Setembro, criado pela The United Way of NY City e pelo NY Community Trust. O restante será em serviços técnicos, horas de trabalho voluntário e software para organizações e grupos que cuidam das vítimas.
*
O MSN brasileiro, braço da Microsoft para serviços e conteúdo de Web, colocou no ar o novo canal MSN Games, com conteúdo segmentado por plataformas de jogos.
O portal MSN, segundo a Jupiter Media Metrix em julho de 2001, é o 2º domínio global mais acessado por internautas brasileiros. O MSN Brasil tem mais de 5 milhões de usuários únicos e 1,7 milhão de usuários ativos no MSN Hotmail. O MSN Messenger é atualmente o 2º serviço de mensagens instantâneas mais usado no Brasil


Internet banking não decola nos Estados Unidos, revela eMarketer
(Exame, 2001-09-17)

Os serviços de Internet banking não "pegaram" nos Estados Unidos. Apenas de 5% a 10% dos clientes das instituições financeiras usam serviços via Web. É o que revela a pesquisa feita pelo instituto eMarketer.
Segundo o relatório, não foi só o sistema de Internet banking que frustrou as expectativas nos EUA. "Outras tecnologias como pagamentos eletrônicos, integração de sistemas de pagamento e CRM (gerenciamento do relacionamento com clientes) não atingiram as expectativas", relata o instituto. Mas o analista Paul Mulligan faz uma ressalva: "Essas tecnologias são razoavelmente novas e é prematuro ainda dizer que elas não serão usadas". "Contudo, muitos bancos usam o argumento que se a tecnologia é construída, os consumidores virão. Mas isso não vale nesse caso", completa.
O eMarketer prevê que o número de famílias que usam o sistema de Internet banking crescerá de 12,2 milhões, previstos para o final de 2001, para 18,3 milhões em 2004.

Em compensação, entre 69% e 78% dos entrevistados usam agências de seus bancos mais do que no ano passado, incluindo os consumidores que já usam o sistema online. Isso põe por terra a previsão dos analistas de que o Internet banking eliminaria as agências.

Segundo relatório do OCC (Comptroller of the Currency), 100% dos bancos maiores do que US$ 10 bilhões de patrimônio oferecem online banking contra 20% dos bancos de menos de US$ 100 bilhões que oferecem os serviços.
Em relatórios anteriores, o eMarketer comenta o sucesso das iniciativas de Internet banking no Brasil, fazendo a ressalva de que o serviço foi bem aceito por que a maioria dos bancos ofereceu acesso grátis à Web aos clientes.


Internet amplia convívio social, diz pesquisador
(Folha de S.Paulo, 2001-09-15)

Ao contrário do que muita gente pensa, a internet não está reduzindo os contatos entre as pessoas nem substituindo-os por relações impessoais conduzidas por computador. A conclusão é de Barry Ellman, do Centro para Estudos Urbanos e Comunitários da Universidade de Toronto, Canadá.

Segundo o pesquisador, os contatos via redes de computadores estão na verdade ampliando a socialização das pessoas.

Um dos exemplos que ele apresenta é o de um estudo feito em um subúrbio de Toronto, segundo o qual as pessoas "plugadas" em uma rede local conheciam três vezes mais vizinhos do que os não-conectados. Além disso, vizinhos conectados se encontraram pessoalmente 60% mais do que os excluídos da rede.

Os números gerais da internet apontam o mesmo fenômeno, diz Ellman. Segundo ele, pessoas ligadas por computadores tiveram mais contatos pessoais com seus amigos e parentes do que pessoas não-conectadas

 

Voltar       Mais notícias       Edição atual       Edição anterior

Os textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores ou fontes e podem não expressar a opinião da Economiabr.net