:: Economiabr.net - outubro de 2001 - edição n.01

Edição anteriores

Economia Mundo Brasil Digital Trabalho

 

:: Economia

Utopias em xeque
Trata-se de uma forma de terror amplamente aceita pela neoestupidez globalizada. Um sistema que exclui e reduz as chances de paz e segurança para o futuro do homem. Essa seita do Capital como fim único, do Darwinismo Econômico como lei e do individualismo como estratégia, pode massagear o ego de muita gente mas, definitivamente, não atende a humanidade. Isso é óbvio. Não é preciso ser profeta para perceber isso. As disputas em nome de religião ou outra coisa qualquer é apenas uma máscara para o instinto estúpido e mesquinho do homem.
(Cesar Boschetti, 2001-10-01)

Banco Mundial prevê mais recessão e mortalidade em países pobres
O Banco Mundial (Bird) previu, em relatório, que os países pobres entrarão ou continuarão em recessão, como reflexo dos atentados terroristas contra os EUA. A recessão será provocada por uma forte queda das exportações, do turismo, dos preços das matérias primas e dos investimentos
(Agência Estado, 2001-10-02)

Estudo diz que a fragilidade das contas externas brasileiras é o principal problema do país
O banco de investimentos Morgan Stanley Dean Witter, um dos mais influentes dos EUA, está prevendo que o Brasil vai crescer no ano que vem ainda menos do que este ano (...) Assim como alertara a Standard & Poor’s, o Morgan Stanley também vê a fragilidade das contas externas brasileiras como o principal problema do país. “O maior desafio que vemos no Brasil continua sendo a relação entre a fraqueza da moeda e a crescente carga da dívida do país, que por sua vez pressiona as contas externas do Brasil”, destaca o estudo.

As metas de inflação
As metas de inflação estão na moda, mas esse método de condução da política monetária não garante resposta a todas as questões." As autoridades dos bancos centrais são contumazes seguidoras da moda. Este ano, países tão diferentes como Islândia e Turquia juntaram-se à turma dos modernos e adotaram metas de inflação.
(The Economist, 2001-10-05)

A coreografia macabra do Inimigo invisível e do Império onipresente 
Poder econômico concentrado, maniqueísmo, violência como língua oficial e racismo. Esse é o sistema político-cultural dos sonhos da extrema-direita. Os atentados do dia 11 de setembro de 2001 e as incriminações e desdobramentos posteriores pertencem a uma lógica terrorista não alheia à da CIA (um Estado terrorista dentro do Estado) e de seus grupos anexos, as Milícias de Montana e de Michigan, o movimento neonazista estadunidense, a Ku Klux Klan e de aliados “oficialistas” no interior do Partido Republicano, como o Vice-Presidente Dick Cheney. Ninguém pode negar que também são ou “foram” bons companheiros da CIA a Máfia, os Cartéis do narcotráfico e os grupos fundamentalistas como o de Bin Laden.
(Luis Fernando Novoa Garzon, 2001-10-05)

A Liberdade na América
Hoje o governo americano está tomando decisões que nenhum governante daquele país gostaria de tomar: a diminuição das liberdades individuais com vistas a proteger a sociedade de novas atrocidades terroristas. Não existe nada mais doloroso para a sociedade americana do que ver tolhidos, mesmo que momentaneamente, os princípios e
(Márcio C. Coimbra, 2001-10-07)

: Mundo

Enquanto as empresas privadas demitem, o Estado keynesiano dos EUA contrata
Órgãos do governo federal como o FBI, a alfândega e o departamento de aviação civil abriram grande quantidade de novas vagas depois dos ataques terroristas de 11 de setembro. A maioria está relacionada a reforço na segurança e aumento nas fiscalizações. O Departamento de Alfândega, por exemplo, quer contratar 3 mil funcionários para repor fiscais que estão se aposentando em postos de fronteira, portos e aeroportos em todo o país. Em três dias e meio, o Departamento recebeu quase 6 mil respostas e cancelou o recebimento de novas inscrições
(com informações da Agência Estado, 2001-10-02)

EUA: pacote econômico não pode prejudicar a economia no futuro
Até agora, tem-se como certeza apenas que ele será um composto das três principais medidas discutidas até agora: benefícios diretos para os trabalhadores desempregados; cortes de impostos para empresas e pessoas físicas; e investimentos em serviços públicos, transporte e saúde, bem como o reforço da defesa da infraestrutura atualmente existente contra novos atentados terroristas
(economiabr.net, com informações da Folha Online, 2001-10-05)

Mesmo sob fogo cerrado, ainda existem os curingas
Resgatando alguns aspectos da realidade econômica predominante na primeira semana de setembro, tínhamos, no campo internacional, um quase consenso a respeito da desaceleração da economia norte-americana, que geraria repercussões negativas nos principais parceiros comerciais dos Estados Unidos. O endividamento da classe média do referido País - principalmente em função dos prejuízos dos investimentos nas Bolsas de Valores (especialmente no que se refere as ações congregadas no NASDAQ) - vinha provocando um arrefecimento do consumo, com vistas ao saneamento financeiro das famílias 
(Eduardo Starosta, 2001-10-06)

Brasil pode seguir o exemplo da Coréia do Sul para exportar mais
(O Estado de S. Paulo, 2001-10-02)
Para exportar mais, o Brasil pode seguir o exemplo da Coréia do Sul. Há 30 anos, a participação da Coréia no comércio mundial era de cerca de 1%. Hoje é de 2,2%, o que significa US$ 400 bilhões por ano. 

Multinacionais no país investem em substituição de importações
(O Globo, 2001-10-02)
Enquanto o governo prepara seu pacote de incentivos à substituição de importações, as filiais brasileiras de fabricantes mundiais de eletroeletrônicos e de equipamentos de telecomunicações já investem em programas para acelerar o grau de nacionalização de seus produtos.

Real poderá ser incluído na cesta de moedas de Cavallo.
(Panorama Brasil, 2001-10-01)
O Ministério da Economia da Argentina, comandado pelo ministro Domingo Cavallo, informou que está estudando a possibilidade de incluir a moeda brasileira, o real, na cesta de moedas que o país utiliza como referência para o comércio exterior. Essa medida, na visão dos técnicos, compensaria a desvalorização. 

Embraer e a crise da aviação global
(The Financial Times - Inglaterra, 2001-10-05)
A Embraer tornou-se a mais recente companhia vítima da debacle da indústria da aviação global depois dos ataques contra os EUA, diz o Financial Times. 
"A maior exportadora do Brasil anunciou que demitirá 1.800 de seus 12.700 funcionários esta segunda-feira e se prepara para uma queda de US$1,9 bilhão na receita prevista até o próximo ano, devido ao adiamento de entregas de aviões. 

 

:: Digital

Grandes grupos aguardam o Brasil escolher padrão de TV digital
O Sun-Sentinel publica matéria da AP sobre a briga que americanos, europeus e japoneses travam para que seja o seu o padrão de TV digital que o Brasil escolherá. Como o Brasil deve influenciar o padrão regional, os três rivais estão brigando feito para que o seu sistema seja o escolhido. 'Nosso padrão domina o mundo da TV', disse Peter MacAvock, diretor-executivo da DVB a funcionários da Anatel. 'Estamos falando de 25 milhões de decodificadores no mundo todo, em comparação com cerca de quatro milhões do ATSC e um número semelhante no Japão'.
(Sun-Sentinel , 2001-10-07)

Motorola e Siemens podem formar joint venture 
(Valor Online, 2001-10-01)
A Motorola e a Siemens estão em conversações para criar uma joint venture para operações de infra-estrutura sem fio e aparelhos de mão. As conversas entre as duas empresas ainda estão em um estágio preliminar e podem resultar em um acordo de US$ 20 bilhões a US$ 25 bilhões. 

Anatel quer a planta de telefonia no cálculo do PIB 
(IDG Now, 2001-10-05)
A Anatel quer que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também inclua no cálculo do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do País, gerado pelo setor de telecomunicações, a ampliação da planta de telefonia. 

Internauta brasileiro: jovem, boa renda e inteligente 
(IDG Now!, 2001-10-02)
O internauta brasileiro é, em sua maioria, jovem, pertence ao sexo masculino, é viciado em e-mail, salas de bate-papo, possui segundo grau completo e passa em média duas horas por dia conectado na rede. Tem na mente marcas como UOL, Napster, Itaú, Americanas e Pão de Açúcar. Essas são algumas das informações reveladas na primeira pesquisa iBrands, realizada pelo iBest Company e a Datafolha. 

Brasil é o 2º em crescimento de Internet 
(informou o IDG Now!, 2001-10-02)
O Brasil é o pais com o segundo maior crescimento na Internet. A informação foi divulgada pelo Giga Information Group. Segundo o instituto, há cerca de 17,3 milhões de usuários no País, conectados a 860 mil servidores. Os números mostram que a taxa de pessoas por equipamento no Brasil é de 20 usuários, contra 2,4 usuários por servidor nos EUA. 

Celular da Ericsson tem acesso rápido à Internet 
(Folha Online, 2001-10-01)
Um novo celular de tecnologia 2.5G lançado pela companhia sueca Ericsson permite o acesso contínuo à Internet.O modelo R600 comporta o padrão GRPS, que se conecta à web numa velocidade de 43,2 Kbps -uma das maiores disponíveis atualmente. 

Nokia e Nordea criam sistema de pagamento via celular 
(Folha Online, 2001-10-01)
A Nokia, maior fabricante mundial de telefones celulares, anunciou uma parceria com o grupo financeiro Nordea e a empresa de cartões de crédito Visa International em um projeto piloto de pagamento por meio de telefones celulares. 

Guerra contra o terrorismo deve desencadear ciberataques 
(IDG Now!, 2001-10-01)
A guerra contra o terrorismo decretada pelo presidente George W. Bush deve incrementar o número de ciberataques contra as empresas americanas, que correm para corrigir vulnerabilidades em sistemas de computadores conectados à Internet. 

 

:: Trabalho

Quem são os Empreendedores?
Mas a pergunta que paira para a grande maioria é: o empreendedor é um ser especial? Seu comportamento é genético? É um ser iluminado, com muita sorte? Segundo Peter Drucker, o empreendedorismo é um comportamento e não um traço da personalidade. Essa definição pode nos levar a uma conclusão: não há pré-requisito para se tornar um empreendedor; cada um de nós pode, em maior ou menor grau, tornar-se um. Fatores como persistência, vontade, dedicação, entusiasmo, responsabilidade, comprometimento, obstinação, visão de futuro, são determinantes no sucesso do candidato a empreendedor.
(Danilo C. Nascimento, 2001-10-02)