Edição: Maio/2002 - n.02

Edição anteriores

:: Economia

Crescer e concentrar
Durante os anos 80 o grupo dos sete, seleto grupo dos países mais ricos do mundo, adotou uma postura monetária mais restritiva , para conter a inflação herdada da década de 70. Que foi resultado de dois choques exógenos do petróleo, essa política surtiu efeito nos países citados, contudo seus efeitos sobre o resto do mundo foram sombrios.
(Alan Henriques, 2002-05-12)

Cepal pede ao FMI menos críticas e mais ajuda à Argentina
Em vez de apenas criticar, o Fundo Monetário Internacional (FMI) deveria concentrar seus esforços em uma ajuda rápida à Argentina. A opinião é do secretário-executivo da Comissão Econômica para América Latina e Caribe (Cepal). 
(CNN, 2002-05-11)

Receita mostra que Alca beneficiaria países do Nafta no Brasil 
Os países do Nafta são os que têm mais chances de ver suas exportações para o Brasil crescerem com a entrada em vigor da Alca, de acordo com um estudo divulgado nesta quinta-feira pela Receita Federal. Segundo levantamento da Receita, os produtos dos Estados Unidos importados pelo Brasil, em 2000, pagaram uma alíquota real média de 8,57 por cento enquanto do Canadá ela foi de 7,71 por cento e do México, 10,23 por cento. 
(Reuters, 2002-05-11)

Satisfação à Americana
Quem acompanha o noticiário da Bolsa de Nova Iorque certamente já ouviu falar do ACSI, sigla em inglês que significa “Índice de Satisfação do Consumidor Americano”. De tão utilizado pelos ianques, o tal índice já virou referência para os investidores de Wall Street medirem a confiança dos consumidores americanos na economia dos Estados Unidos.
(copyright Revista Amanhã, 2002-05-12)

:: Digital

O tripé satânico da internet brasileira: Operadora, Provedor e Anatel
A Anatel tem recebido muito apoio da mídia econômica nessa briga decomadre com o Banco Central. Como sempre, a mídia econômica fecha com todo mundo, menos com o interesse de seu leitor, no caso o usuário de telefonia e internet - a verdadeira vítima da incúria e da ineficiência dos serviços de telefonia e internet no Brasil, que começa nas operadoras, passa pelos provedores e chega à Anatel, formando um tripé infernal.  
(Marinilda Carvalho, Observatorio da Imprensa, 2002-05-11)

:: Trabalho

Mais tempo à procura
Quem está desempregado já percebeu essa mudança. O tempo de médio de procura por um novo emprego subiu de 18,6 semanas para 20,5 semanas, segundo divulgou o IBGE. Ou seja, quem perde o emprego passa no mínimo cinco meses atrás de outra ocupação. Veja como reduzir o tempo de procura
(Onnews, 2002-05-11)

 

 

 

 

a