Destaque da Semana
Um jeito original de deixar de ser
O grande capital, de abrangência mundial e natureza financeira pretende mudar a qualidade de suas relações com a periferia. Quer discutir e repensar a relação. Consenso II, mas nunca a dois, pois sempre de Washington para onde Washington quiser. No Brasil é igual só que diferente. O novo Governo brasileiro tem sido tão original ao copiar e aplicar o programa neoliberal, que o FMI pôde despedir, sem saudades, seus antigos colaboradores tucanos.
(Luis Fernando Novoa Garzon, 2003-07-06)
.

Brasil
Movimentos migratórios para trabalhar ou estudar no Brasil

Novas análises dos dados colhidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o Censo 2000 revelaram que 7,4 milhões de brasileiros se deslocam diariamente para trabalhar ou estudar fora dos municípios em que residem. Isso equivale a 6,7% do total de pessoas que trabalham e/ou estudam no país. De acordo com o IBGE, o deslocamento é um fenômeno urbano, concentrado nas grandes cidades brasileiras e seus arredores. 
(OnNews, 2003-07-07) 

Lições de Furtado e de Prebisch: reflexões para uma Área de Livre Comércio das Américas (ALCA).
Um projeto de desenvolvimento socioeconômico eqüitativo é mais que um plano de lutas, ainda que seja preciso resistir às pressões, é necessário submeter as "leis dos mercados" à política. Países como o Brasil não podem depositar as esperanças de vir a ser uma sociedade com desigualdades sociais atenuadas e mínimos níveis de vida digna universalizados, a partir dos resultados de uma inserção passiva na fantasia neoliberal.
(Rodrigo Medeiros, 2003-05-26)

Carreira
Afinal para que servem os economistas?
Poderíamos afirmar que como em toda ciência, ela possui um desenvolvimento acoplado ao desenvolvimento do conhecimento técnico disponível (know how tecnológico) e ao aprimoramento técnico do capital humano disponível, na medida que os indivíduos passam a reconhecerem e maximizarem melhor as suas funções como agentes econômicos.
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2003-07-06)

Digital
Raio-X sobre os padrões da TV Digital
Desde o momento em que o debate sobre a digitalização da comunicação eletrônica de massa tornou-se público no Brasil, em 1998, a discussão sempre foi focada nos três padrões de transmissão digital oficialmente existentes. Com poucas diferenças entre si as plataformas de transmissão digital envolvem muito mais uma guerra comercial geopolítica do que um simples repasse de tecnologia.
( Acessocom, 2003-07-07)

Edições Anteriores

2003 - Edição n. 03
Lições de Furtado e de Prebisch: reflexões para uma Área de Livre Comércio das Américas (ALCA).
(Rodrigo Medeiros, 2003-05-26)
Proteger ou Liberar? Eis a questão.
(Leandro M. Caldas, 2003-05-26)
Um Choque de Brasilidade
(Gilberto Lima Júnior, 2003-05-26)
O Futuro é Híbrido
(Airan Silva, 2003-05-26)
Carreira sem prazo de validade!
(José Luis Amancio, 2003-05-26)

2003 - Edição n. 02
Um motivo para a Alca
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2003-01-06)
O dilema da exportação
(Ivan Tiago Machado Oliveira, 2003-01-13)
A Escassez de água no mundo
(Elvis Albert Robe Wandscheer, 2003-01-06)
Competitividade:  Definição e Problemas de Mensuração
(Rogério Ceron de Oliveira, 2003-01-12)

2003 - Edição n. 01
O governo Lula e o movimento social
(Altamiro Borges, 2003-01-06)
Paradoxo da premiada "Era FHC"
(Rodrigo Medeiros, 2003-01-06)
Sem medo de vencer
(José Luis Amancio, 2003-01-06)

2002 - Edição n.11/03
A crise na Economia Norte-Americana
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2002-11-25)
Alca e Mercosul
(Elvis Albert Robe Wandscheer, 2002-11-25)
Abertura Econômica e Desemprego
(Marines R. de Oliveira, 2002-11-26)

Todas as Edições

 

 

 

 

 

 

a