Destaque da Semana
A inércia e a recauchutagem do continuísmo
Ao governo Lula segue um aviso: não será com a recauchutagem do continuísmo que o País sairá da atual situação, pois as políticas de não-intervenção no domínio econômico, baseadas no liberalismo do século XIX, formam um modelo simplista e irreal da economia de mercado. Como bem demonstraram John M. Keynes e Karl Polanyi, uma economia de mercado necessita de regulação pública eficaz para ser democrática. Em síntese: ou se contém a participação democrática, restringindo a cidadania e o direito ao trabalho, ou se elaboram regras e métodos de controle do movimento de capitais para ampliar a cidadania e a participação democrática. Não será tirando “nota 10” de bom comportamento no mercado financeiro e tampouco aprofundando o modelo neoliberal herdado de FHC que o governo Lula honrará os seus compromissos históricos com povo brasileiro e com aqueles(as) intelectuais que tanto lutaram para que ele fosse o líder transformador da realidade nacional. Qualquer pacote de reformas orientadas pelo FMI, reconhecido por refletir os interesses do capitalismo rentista, será inútil se o Brasil passar por outra década medíocre.
(Rodrigo Medeiros, 2003-10-20)
.

Brasil
Setor informal tem pouco acesso ao crédito
Recentemente, o governo federal inseriu as microfinanças no rol das políticas de Estado, com o objetivo de promover a inclusão bancária de milhões de brasileiros. Entre as medidas, destacam-se a abertura de contas, exigindo o mínimo possível do cliente, e o vínculo de parte do depósito compulsório, recolhido ao Banco Central, para a concessão de microcrédito. Ao inserir os bancos públicos e privados no segmento de microfinanças, o governo pode até conseguir democratizar os serviços bancários para pessoas físicas, mas dificilmente atenderá a maioria dos micro e pequenos negócios que estão na informalidade, fonte de renda da enorme maioria dos pobres no Brasil. 
(Eduardo Wirthmann Ferreira e James Maxwell Brito Coelho, 2003-10-20)

Internet
É possível vender para os pobres na internet?

Dias atrás a revista Istoé-dinheiro, publicou interessante reportagem sobre o potencial de consumo das classes de renda mais baixa no Brasil. A reportagem partia de estudos que apontavam que as classes “C” “D” e “E” representam 72% dos lares e a sua capacidade de compra é estimada em 372,5 bilhões de reais (...) muitas empresas estão voltando os olhos para o público de baixa renda. Mas a questão que vem a mente é a seguinte: será que essa estratégia poderia também ser aplicada na Internet? Ou seja, pode-se tentar atingir o público de baixa renda através do canal de comercialização Internet? Uma comparação entre o perfil do brasileiro e do o comprador on-line vai possibilitar uma resposta mais conclusiva.
(Dailton Felipini, 2003-10-20)

Atualidade
Microsoft rural. Seguindo exemplo de Bill Gates, empresas agrícolas buscam o monopólio, pilhando conhecimento

Se você tem um computador em casa ou no trabalho, há mais de 90% de chance de que ele funcione com o sistema Windows.  Está pronto, então, para entender o que são os transgênicos. Basta imaginar um futuro próximo em que as verduras, frutas e cereais serão tão controlados quanto um Word ou um Outlook Express (...) acada nova semente plantada representará um custo para o agricultor. Ao estancar a reprodução espontânea da vida, a empresa obriga o agricultor a comprar grãos a cada nova safra. "Esse é o verdadeiro objetivo dos que criam transgênicos: o aumento de produtividade é apenas uma desculpa."
(Jorge Pereira Filho e Daniel Merli, 2003-10-20)
.

Destaques
As três aberrações das políticas agrícolas
(Jacques Berthelot, 2003-10-15)
As flores abortadas de Mao
(Miguel do Rosário, 2003-10-13)
100 Anos de Economia Brasileira: Vamos Comparar?
(Gustavo Grisa, 2003-10-13)
A farsa da empregabilidade
  (Ricardo Antonio Penschi, 2003-10-13)
O estágio atual da luta contra a Alca
(Altamiro Borges, 2003-01-06)
Uma luz no fim do túnel
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2003-07-22)

 

 

Edições Anteriores

2003 - Edição n. 10
As três aberrações das políticas agrícolas
(Jacques Berthelot, 2003-10-15)
As flores abortadas de Mao
(Miguel do Rosário, 2003-10-13)
100 Anos de Economia Brasileira: Vamos Comparar?
(Gustavo Grisa, 2003-10-13)
A farsa da empregabilidade
  (Ricardo Antonio Penschi, 2003-10-13)

2003 - Edição n. 08
O motor quebrado do crescimento
(Rémy Herrera, 2003-10-01)
A dinâmica financeira da grande empresa capitalista
(Allan Claiton de Oliveira, 2003-10-06)
A nova ordem imperial e o sacrifício racional da ONU
(Luis Fernando Novoa Garzon, 2003-10-01)
Desemprego Estrutural e Trabalho Precário na Era da Globalização
(Giovanni Alves, 2003-10-01)

2003 - Edição n. 07
O Livre Comércio e o Mundo em Desenvolvimento
(Ivan Tiago Machado Oliveira, 2003-08-18)
Argentina: Que se vayan todos!
(Marcus Eduardo de Oliveira, 2003-08-18)
Crescimento ou desenvolvimento? Crescimento para quem?
(Henrique Rattner, 2003-08-18)
É o atual sistema econômico mundial Sustentável do ponto de vista ambiental?
(Fábio Albergaria de Queiroz, 2003-08-18)
Inclusão digital é a melhor saída para ampliar mercado 
(Rosana Hessel e Cristina Guimarães, 2003-08-18)

2003 - Edição n. 06
Globalização Financeira x Democracia
(Uallace Moreira Lima, 2003-08-04)
A ALCA e o Tigre de Adenauer
(Gustavo Grisa, 2003-08-04)
Distritos industriais (ou clusters) como estratégia de desenvolvimento econômico local para o Brasil.
(Hélio Barbosa Hissa, 2003-08-04)
Como ficar livre do FMI, ou melhor, Delenda Cartago!
(José Lucas Alves Filho, 2003-08-04)

2003 - Edição n. 05
O estágio atual da luta contra a Alca
(Altamiro Borges, 2003-01-06)
Uma luz no fim do túnel
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2003-07-22)
Planejamento Estratégico e os impactos sociais e econômicos das atuais tendências demográficas
(Vivaldo José Breternitz, 2003-07-22)
Suco de laranja, açúcar e fumo no mundo da conversa mole do tal livre comércio.
(Ivan Tiago M. Oliveira, 2003-07-22)

2003 - Edição n. 04
Um jeito original de deixar de ser
(Luis Fernando Novoa Garzon, 2003-07-06)
Movimentos migratórios para trabalhar ou estudar no Brasil
(OnNews, 2003-07-07) 
Afinal para que servem os economistas?
(Pedro Paulo Silveira Felicíssimo, 2003-07-06)
Lições de Furtado e de Prebisch: reflexões para uma Área de Livre Comércio das Américas (ALCA)
(Rodrigo Medeiros, 2003-05-26)
Raio-X sobre os padrões da TV Digital
(Acessocom, 2003-07-07)

2003 - Edição n. 03
Lições de Furtado e de Prebisch: reflexões para uma Área de Livre Comércio das Américas (ALCA).
(Rodrigo Medeiros, 2003-05-26)
Proteger ou Liberar? Eis a questão.
(Leandro M. Caldas, 2003-05-26)
Um Choque de Brasilidade
(Gilberto Lima Júnior, 2003-05-26)
O Futuro é Híbrido
(Airan Silva, 2003-05-26)
Carreira sem prazo de validade!
(José Luis Amancio, 2003-05-26)

Todas as Edições