» Empreendedor

Projeto: você ainda vai ter um...
(Welinton S. Barreiros, 2002-04-01)

O empreendedorismo brasileiro nunca esteve tão estimulado, difundido e acompanhado como agora. O empreendedor é um incansável na busca de oportunidades, e sempre consegue identificá-las. Este personagem especial, sinônimo de curioso, inquieto e realizador, leva consigo e verdadeiramente vive a frase: "O bom é colocar idéias em prática". E isso explica porque um a cada oito brasileiros tem seu negócio próprio, sendo que nos Estados Unidos temos um a cada dez e na Austrália, um 1 para 12. 

Outros fatores de grande evolução são a conscientização e, principalmente, a realização de um planejamento estratégico, um plano de negócios ou, simplesmente, um projeto. É público, notório e unânime a convicção de que um planejamento bem preparado é o primeiro passo para o sucesso de qualquer empreendimento. Entretanto, é sabido também que temos um grande índice de empreendimentos que não alcançam o seu primeiro ano de vida, e se ampliarmos esta medição para dois anos, este índice se alarga de forma sensível. 

Podemos perceber que grande parte destes insucessos não se deve à falta de ações concretas do empreendedor e nem à falta de um planejamento eficaz, mas sim à ausência de um gerenciamento sistemático do projeto. 
Não podemos nos dar ao luxo de perder um grande projeto e, principalmente, a energia, a disposição e as ações rápidas de um grande empreendedor (que pode ser você mesmo) pela falta de ferramentas de medição do andamento do projeto, esteja este projeto ainda em concepção ou já implantado. Muitas vezes, falta somente a indicação de quem e quando, isto é, para cada atividade, por mais simples que seja, devemos sempre indicar, documentar e medir: 

Ação - Responsável - Prazo - Situação. 

E, para tanto, é fundamental o estabelecimento de indicadores de desempenho ou de medição do andamento das tarefas e atividades de cada etapa do projeto, mesmo que o responsável pela ação seja o próprio dono do projeto. 
A experiência de diversos especialistas no gerenciamento de projetos e pesquisas do PMI - Project Management Institute mostram que existem causas comuns de fracassos, e as três principais, pela ordem, são: 
1- Inadequação de recursos 
2- Prazos irreais de término 
3- Metas e direcionamentos obscuros ou confusos 

Com estas informações, vemos claramente que as causas podem ser percebidas rapidamente, tendo muito bem definidos os pontos de medição do projeto. Como saberemos se os recursos são inadequados, sub ou superdimensionados se não os medimos nas fases intermediárias? Poderemos desperdiçar recursos num momento, ou pior ainda, não tê-los no momento certo... O mesmo raciocínio vale para os prazos, como estar apressando etapas, o que demanda mais recursos, em detrimento de outras que podem ter um cronograma mais elástico. E, principalmente, onde deve estar e como deve estar num exato momento, durante ou após a implantação do projeto. 

Para evitarmos o fracasso de um projeto, é fundamental a medição e o monitoramento constate dos ambientes interno e externo a fim de reconhecer e avaliar se estamos obtendo os resultados esperados. Se a medição e o monitoramento não ocorrerem ao longo de todas as microfases do projeto, corre-se o risco de não percebemos imediatamente a manifestação dos problemas, que podem ocorrer de imediato ou, de forma desastrosa, ficarem incubadps e manifestarem-se somente quando a solução ou os ajustes se tornarem difíceis, caros ou até mesmo impossíveis. 

A atenção do empreendedor, canalizada fortemente para as ações práticas e com boa dose de acompanhamento, medição, análise, identificação dos problemas e estabelecimento de ações corretivas, que por sua vez reiniciam o ciclo, pode minimizar os riscos de insucesso na implementação e na execução de projetos, sejam eles de planejamento estratégico, plano de negócios, plano de ação ou qualquer nome que se queira chamar um conjunto de atividades ao longo de um determinado tempo a fim de alcançar um objetivo desejado. 

________________
Welinton S. Barreiros é analista de sistemas, contador, pós-graduado em Administração Financeira, gerente administrativo e financeiro de uma empresa multinacional do setor automotivo e vice-presidente de Economia e Fomento do Cene - Conselho Empresarial de Novos Executivos/ 
E-mail: wbarreiros@tcasapg.com.br
Outros artigos do autor:

Fazer comentário

Enviar para amigo

Imprimir a página

Os textos aqui publicados são de responsabilidade de seus autores ou fontes e podem não expressar a opinião da Economianet