.  

Escolha a letra para

ABC | DEF | GHI | JKL | MNO | PQR | STV

 

 Selecione a letra = A  B  C

=A=

Ação Nominativa
Ação cuja cautela é nominal ao seu proprietário.

Ação Ordinária
Permite o direito de eleger a diretoria (conselho) da empresa que o emitiu. No entanto, quando ocorre uma distribuição de dividendos da empresa, os proprietários de ações ordinárias só receberão os mesmos depois que os proprietários de ações preferenciais tenham recebido o seu percentual fixo.

Ação Preferencial
O proprietário deste papel tem o direito de receber um percentual fixo dos lucros, antes de distribuídos os dividendos da empresa, no entanto não possuem direito de voto na eleição da diretoria.

AMEX (American Stock Exchange)
A segunda maior bolsa de valores nos Estados Unidos (a primeira é a Bolsa de Nova York), transacionando cerca de 10 % de todas as ações negociadas no país.

ANBID (Associação Nacional dos Bancos de Investimento)
Entidade formada por várias instituições financeiras com sede no Rio de Janeiro.

=B=

 

BACEN - Banco Central do Brasil
O Banco Central do Brasil foi criado em 1964, para atuar como orgão executivo central do sistema financeiro nacional. Suas principais atribuições são:
(1) Emitir papel moeda e moeda metálica;
(2) Executar compra e venda de Títulos Federais (através de operações de Open Market) tanto para executar Política Monetária como para o próprio financiamento do Tesouro Nacional;
(3) Receber depósitos compulsórios e voluntários do sistema bancário, assim como realizar operações de redesconto e outros tipos de empréstimos às instituições financeiras.
(4) Ser o depositário das Reservas Internacionais do País.
(5) Autorizar o funcionamento, fiscalizar e aplicar as penalidades previstas a instituições financeiras. Todas essas atividades do Banco Central, no Brasil, são reguladas pelo CMN (Conselho Monetário Nacional).

Balança Comercial
Registra os valores FOB das exportações e o valor das importações. Se o valor das exportações superar os das importações, a balança comercial apresenta um superávit. Se acontecer o contrário teremos um déficit.

Balanço de Pagamentos
O Balanço de Pagamentos é o resumo, expresso em unidades monetárias (US$), das transações ocorridas entre o país e o resto do mundo. Ele apresenta duas grandes contas: o saldo em transações correntes, que se refere às transações de bens e serviços realizadas pelos brasileiros com o exterior; e, o saldo de capitais que reflete o fluxo de moedas entre o país e o resto do mundo. A estrutura do Balanço de Pagamentos é a seguinte:
1. Saldo da Balança Comercial
2. Saldo do Balanço de Serviços (que engloba pagamento de juros ao exterior, fretes, dólares gastos em turismo, etc)
3. Transferências unilaterais (que envolve transferências de pessoas/instituições entre o Brasil e outros países, sem contrapartida, ou seja, sem a necessidade de pagamento posterior)
4. Saldo em transações correntes (que equivale a 1+2+3)
5. Conta de Capital
6. Erros e Omissões
7. Resultado (que equivale a 4+5+6, e reflete a variação das Reservas Cambiais)

Base Monetária
A base monetária corresponde à criação primária de moeda (pelo Banco Central).
Ela é divulgada em dois conceitos pelo Banco Central do Brasil: num conceito mais restrito, por convenção, corresponde ao total de papel-moeda em circulação somado às reservas bancárias, e, num mais amplo, corresponde ao total da base restrita, mais os depósitos compulsórios em espécie e títulos federais (tanto do BACEN, quanto do Tesouro) fora do Banco Central.

Bens de Capital (ou Produção)
São os bens que servem para a produção do outros bens, tais como máquinas, equipamentos, material de transporte e construção.

Bens Intermediários
São aqueles bens que são absorvidos na produção de outros, como o açucar nas balas, os componentes na televisão, etc.

Blue-Chips
Termo utilizado nas Bolsas de Valores para designar as ações mais negociadas, as mais valorizadas pelo público. No Brasil, podemos citar as ações da Telebrás, Petrobrás e Eletrobrás.

BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social)
O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) é a principal instituição financeira de fomento no Brasil. Criado na década de 50 tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento econômico do país - estimulando, via financiamento, com taxas de juros e prazos de especiais, as atividades agrícola, industrial e de serviços.

Bolsa de Mercadorias
Mercado centralizado para transações com mercadorias, sobretudo os produtos primários de maior importância no comércio internacional e interno, como café, açúcar, algodão, cereais, etc. Realizando negócios tanto com estoques existentes quanto com mercados futuros, as bolsas de mercadorias exercem papel estabilizador no mercado, minimizando as variações de preço provocadas pelas flutuações de procura e reduzindo os riscos dos comerciantes.

Bolsa de Valores
Instituição em que se negociam títulos e ações. As Bolsas de Valores são importantes nas economias de mercado por permitirem a canalização rápida das poupanças para sua transformação em investimentos. E constituem, para os investidores, um meio prático de jogar lucrativamente com a compra e venda de títulos e ações, escolhendo os momentos adequados de baixa ou alta nas cotações.

Bolsa de Valores de Nova York
A maior e mais importante bolsa de valores do Mundo. Também conhecida como Big Board, de onde é apurado o índice Dow-Jones que é composto por 30 empresas.

=C=

 

Câmara de Compensação
Organização que reúne vários bancos de uma localidade com o objetivo de liquidar os débitos entre eles, conpensando todos os cheques emitidos contra cada um dos seus membros mas apresentados para cobrança em qualquer um dos outros.

Capital Aberto
Característica do tipo de sociedade anônima em que o capital, representado por ações que podem ser negociadas na Bolsas de Valores, é dividido entre muitos e indeterminados acionistas.

Capital de Giro
Parte dos bens de uma empresa representados pelo estoque de produtos e pelo disponível (imediatamente e a curto prazo)

Capital de Risco
Capital investido em atividades em que existe a possibilidade de perdas.

Carta de Crédito
Carta cujo signatário autoriza o destinatário a entregar a uma terceira pessoa certa importância em dinheiro ou determinada quantidade de mercadorias.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)
É um título de captação de recursos do setor privado, cujas taxas são expressas em % ao ano. É o mais procurado pelo fato de ser transferível por endosso nominativo, ou seja poder ser vendido a qualquer hora dentro do prazo contratado com pequeno deságio. É conhecido como depósito a prazo.
A medida provisória 542 do Plano Real estabelece que, para os títulos pré-fixados, o prazo mínimo é de 30, 60 ou 90 dias. Para os títulos indexados em TR , o prazo mínimo é de 120 dias.

Cesta Básica
Conjunto de bens satisfazem as necessidades básicas de uma família de trabalhadores. O conceito de necessidades básicas varia conforme o nível médio de renda da população alvo. Como exemplo pode-se citar a cesta básica elaborada pelo Procon-São Paulo, que computa o preço médio de uma cesta de produtos alimentares, de higiene e limpeza consumidos por uma família padrão de quatro pessoas com renda de 10,3 salários mínimos, na região metropolitana de São Paulo.

CMN (Conselho Monetário Nacional)
O CMN é um orgão normativo responsável pela fixação das diretrizes da política Monetária, Cambial e Creditícia do País, de forma à compatibiliza-las com as metas econômicas do Governo Federal. Seu orgão executor é o Banco Central. Atualmente o CMN é composto pelo Presidente do Banco Central e pelos Ministros da Fazenda e do Planejamento.

Commodity
Nas relações comerciais internacionais, o termo designa um tipo particular de mercadoria em estado bruto ou produto primário de importância comercial, como é o caso do café, algodão, estanho, cobre, etc ...

Contas Públicas
O resultado das contas do setor público é conhecido como déficit público - que representa o excesso de gastos do Governo (em suas diferentes instâncias: Governo Federal e Banco Central; Estados e Municípios, ainda, empresas estatais) frente as suas receitas. Entretanto, esta contabilidade pode ser dividida em três níveis: (1) Déficit Nominal: corresponde ao resultado nominal das contas do setor público, ou seja, não é excluído o efeito da inflação sobre o fluxo de receitas e despesas do governo. (2) Déficit Operacional: corresponde ao resultado real das contas públicas, ou seja, exclui-se do resultado nominal o efeito da inflação. (3) Déficit Primário: corresponde ao resultado fiscal das contas públicas, ou seja, exclui-se do resultado operacional a despesa com juros que o Governo tem que pagar sobre as suas dívidas. Assim, o resultado puro das contas do Governo é representado pelo déficit primário, que diz, sem o efeito da inflação e dos juros pagos sobre as suas dívidas, se ele gastou mais ou menos do que a sua receita permitia. Entretanto, com as altas taxas de juros praticadas e o crescimento da dívida mobiliária, o acompanhamento do déficit no conceito operacional vem sendo cada vez mais relevante, uma vez que a despesa com juros representa uma grande fonte de gastos para o Governo. À medida que a estabilidade de preços for se firmando no país, o conceito de déficit nominal ganhará maior relevância, pois o efeito diminuto da inflação deverá dar novo sentido a esta estatística - tendendo a substituir a relevância do conceito operacional. O Banco Central divulga estes três conceitos de déficit público, só que sob a ótica da necessidade do seu financiamento. Ou seja, é divulgada a série de necessidades de financiamento do setor público, que é o mesmo que dizer: se o governo tem necessidade de financiamento, é por que tem déficit; enquanto que, se apresentar uma necessidade de financiamento "negativa", isso quer dizer que ele teve um superávit, ou seja, gastou menos do que arrecadou.

CVM (Conselho de Valores Mobiliários)
A CVM é um orgão normativo, criado em 1976, para desenvolver, disciplinar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários não emitidos pelo sistema financeiro ou pelo Tesouro - basicamente o mercado de ações e debêntures.

... BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVMBACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM BACEN Balança Comercial Balanço de Pagamentos Bens de Capital Contas Públicas CVM